MERGULHANDO NA PALAVRA

NOVA VIDA

TODA SEXTA-FEIRA

TODA SEXTA-FEIRA

LIBRAS

LIBRAS

Páginas

PRINCIPIO RCCR DE EVANGELISMO

RCCR é um princípio para evangelização que consiste em usar a Lei para trazer o conhecimento do pecado. Acredito que esse método é a maneira pela qual as escrituras apresentam o Evangelho. Charles Finney disse: “Cada vez mais, a Lei deve preparar o caminho do Evangelho,” enquanto Spurgeon disse: “ Meus irmãos, não devemos cessar de declarar a Lei, suas ordenanças, ameaças, e a multiplicação de sua violação pelos pecadores.”

Bom, em minha observação, vejo que freqüentemente o mundo tropeça sem querer em princípios bíblicos. Uma área em que tenho notado isso é na área de vendas. Então, o que vamos fazer é dar uma olhada na maneira com que um vendedor usa o princípio RCCR: Relacionar, Criar, Convencer, e Revelar, como nos é relatado em João 4.

Certo vendedor vem andando na rua, ele quer abordar uma mulher para tentar vender um de seus aspiradores de pó. Primeiramente, veremos o princípio de Relacionar. Ele não quer que ela bata a porta na sua cara, então, suas primeiras palavras são muito importantes. Ele bate à porta e diz: “Bom dia, me chamo fulano de tal da companhia de aspiradores de pó. Ah! Notei que a senhora tem lindas rosas aí na entrada. Foi a senhora mesma quem plantou?” Só por um momento ele quer ter algo em comum para conversar com ela abrindo o caminho em um nível que ela entenda, alguma coisa em que ela se interesse. Ele pode não mencionar as rosas, talvez comente sobre o clima, talvez sobre o cachorro. Talvez tenha uma criança junto à senhora; Talvez ele diga: Que criança bonita. É sua filha? Ou qualquer coisa com em que ela possa se interessar.

Primeiro, Relacionar. Segundo, Criar. Esse é o momento em que o vendedor cria uma oportunidade para mencionar o produto. Com uma deliberada mudança de assunto, ele começa a falar sobre o tópico desejado.

Terceiro, Convencer. Ele precisa convencer a mulher fazendo-a sentir-se mal sobre o aspirador de pó que ela possui, de maneira a fazê-la ver que precisa de um novo.

Quarto, Revelar. Neste momento ele revela o produto para ela. Ele talvez use certa pressão psicológica. Os vendedores de enciclopédias geralmente fazem isto. No momento em que entram em sua casa, abrem exemplares por todo o chão. Talvez digam assim: “Ah! Tenho um exemplar em meu carro! Vou correndo buscar para você.” Assim, ele trabalha de maneira subliminar, impondo uma situação em que o cliente se sentirá obrigado a pensar coisas do tipo: “Nossa, esse jovem está tendo tanto trabalho para me mostrar o seu produto. Não posso dizer ‘não’ a ele.” Manipulação psicológica.

Ele talvez não dê a você a escolha de dizer “sim” ou “não.” Tenho uma filha que se parece comigo – mas não diga isso a ela. Pode lhe subir à cabeça. Muitos anos atrás, ela usou esse princípio com a minha esposa. Ela foi até a sua mãe e disse: “Mamãe, posso pegar um ou dois pirulitos?” Minha esposa disse: “Dois não. Tome um. Agora vá brincar.” Tudo que ela queria era um pirulito. Ela não deu à mãe a chance de dizer ‘sim’ ou ‘não’, mas a escolha entre um ou dois. O vendedor não diz: “Você quer um? Sim ou não?” Todos dizem: “Você quer o modelo de luxo ou o modelo super”? Sem dar a você escolha de dizer ‘sim’ ou ‘não’, mas a escolha entre os modelos. Freqüentemente tenho visto evangelistas usando pressão psicológica, manipulação psicológica em suas proclamações evangelísticas, especialmente no momento do apelo. Acredito que aqueles que fazem isso talvez se encontrem sem a ajuda do Espírito Santo e acabam colhendo “passivos” ao invés de “ativos” para a igreja local.

Então, vamos agora do natural ao espiritual examinando o princípio de evangelização RCCR. Vamos dar uma olhada nos passos do Mestre no evangelho segundo João, capítulo 4. De nenhuma maneira estou dizendo que Jesus usava técnicas de vendas. O que estou dizendo é que o mundo tropeça sem querer nesses princípios bíblicos relatados em João 4: Relacionar, Criar, Convencer, Revelar.

Versículo 7, Relacionar. Como Jesus se relacionou com a mulher? Uma mulher de Samaria veio tirar água. Jesus disse a ela: “Dá-me de beber.” Note que Ele não chegou na frente dela e disse: “Você já se lavou no sangue do cordeiro?” ou "Você já crucificou seu velho homem?” Não, ele não se relacionou dessa forma. Tenho outra para você, aqui vai o texto: “Como um homem pode entrar dentro do útero e nascer novamente?” Uma vez disse para um grupo de mais ou menos duzentas pessoas: “Embora suas peles estejam vermelhas, elas serão brancas como a neve.” A reação, logicamente, foi: “Pregador racista”. Então, Jesus não foi despejando verdades espirituais profundas sobre a mulher. Ele falou com ela no plano natural sobre coisas que ela conseguia entender. Por quê? Bem, “Ora o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura, e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.” Primeiro, o natural e depois o espiritual.

Você não precisa chegar a um pecador e dizer: “Dá-me de beber,” mas pode se relacionar com ele de uma forma natural falando sobre o tempo ou sobre a profissão dele ou sobre esportes – algo que ele entenda. Relacione-se com os perdidos. Eu aprendi isso de uma maneira difícil como novo convertido. Comecei batendo de porta em porta, algo que achei muito difícil porque muitas seitas têm roubado nossa força e até se intrometido na privacidade das pessoas de maneira bastante inconveniente. Então, certa vez bati a uma porta e uma senhora veio atender. Abri um sorriso e, de uma maneira bem legal e com uma voz clara, disse: “Olá, eu não sou Testemunha de Jeová!” Ela respondeu: “Ah, é? Mas, eu sou!” Então, a maneira de Deus é a sempre a melhor: primeiro, o natural, depois o espiritual. Relacione-se!

Segundo, Criar. Versículo 10: “Jesus respondeu-lhe: “Se tu conheceras o dom de Deus, e quem é o que te diz: Dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva.” Uma deliberada mudança do nível natural para o espiritual. Essa é a parte em que precisamos de coragem: trocar do natural para o espiritual. Da previsão do tempo você poderia mudar o assunto com uma frase do tipo: “Tivemos um palestrante muito interessante em nossa igreja recentemente,” ou “Você viu aquele programa cristão na televisão?” O que estamos fazendo é usar o nosso “radar,” sondando e questionando para ver se essa pessoa está aberta às verdades espirituais. Observe, por exemplo, uma abelha trabalhando. Ela voa para as flores. Ela vai de flor em flor. Subitamente, acha uma que gosta e vai direto ao coração daquela flor. O que a abelhinha está fazendo? Está procurando por néctar. Somos como as abelhas procurando por néctar em um coração aberto. Vamos de flor em flor até acharmos alguém que não se sente ofendido pelo evangelho. Alguém que esteja aberto. Se estiver realmente abertos, precisamos saber como chegar ao coração dessa pessoa e trazer uma genuína convicção com a ajuda de Deus. Somos abelhas trabalhando para Deus, mas se a pessoa não estiver aberta, temos que tentar dar-lhe uma ferroada com a Lei antes de seguirmos voando adiante. Acredito que o evangelismo moderno tem se esquecido de uma grande e importante verdade que é: “A Salvação é do Senhor!.” Nem você nem eu somos capazes de salvar pecadores. O Senhor abriu o coração de Lídia para que ela pudesse prestar atenção às coisas que Paulo falou. “Ninguém pode vir a mim, se o pai que me enviou o não trouxer” (João 6:44). “Deus dá o arrependimento com conhecimento do pecado para que se desprendam dos laços do diabo, aos quais estão presos.” (II Timóteo 2:25-26). Então, é Deus quem abre o coração das pessoas – e se alguém não estiver aberto – não podemos fazer nada sobre isso a não ser orar por elas. Então, não se sinta mal se alguém “estourar uma veia” de irritação quando você mudar a conversa para o nível espiritual, sinta-se livre e sem culpa para trocar de assunto novamente e, gentilmente, voltar ao nível natural, falando sobre o clima ou outro assunto. Outra pergunta que acho excelente e de cunho investigativo é: “Você teve uma formação cristã?” É muito inofensiva e mostra o estado da pessoa. Se a pessoa estiver aberta, devemos saber como trabalhar com o Espírito Santo, que convence do pecado, justiça e juízo (João 16:8).

Relacionar, Criar, e terceiro, Convencer. Versículo 16. Como Jesus traz convicção? “Jesus diz para ela: “Vai chama o teu marido, e vem cá.” A mulher respondeu e disse: “Não tenho marido.” Disse-lhe Jesus: “Disseste bem, não tenho marido. Porque tiveste cinco maridos, e o que agora tens não é teu marido. Isto disseste com verdade.” Então, ela disse: “É verdade.” Jesus estava usando o sétimo mandamento: Não adulterarás – “Você é uma transgressora da Lei, praticante da iniqüidade.” Outra pergunta investigativa que pode ser usada é: “Você vê a sua necessidade do perdão de Deus?” Agora, muitas pessoas dirão não. “Não” porque provérbios 16:2 diz: “Todos os caminhos do homem são puros aos próprios olhos.” Eles são ignorantes da justiça de Deus e andam procurando estabelecer a sua própria justiça, não se sujeitaram à justiça de Deus. Finney disse: “A espiritualidade” – ou essência da Lei – “deve ser aplicada sem misericórdia na consciência até que a auto-justiça do pecador seja aniquilada e que ele pare, sem palavras, sentindo-se condenado diante de um Deus santo.”

Então, quero que você continue com o dedo em João capítulo 4, mas vamos olhar juntos Êxodo 20:2. Veremos como a essência da Lei aniquila a auto-justiça. Examinaremos os Dez Mandamentos à luz da revelação do Novo Testamento. Veja se alguém consegue se segurar em sua frágil auto-justiça quando cada um desses Dez Mandamentos é atirado contra o indivíduo.

Versículo três, o primeiro mandamento: “Não terás outros deuses diante de mim.” O que isso significa? Bom, Jesus disse que na verdade, o que esse verso está dizendo é que somos ordenados a amar a Deus de todo o coração, mente, alma e pensamento. E mais, em Lucas 14:26, Jesus disse: “Se alguém vier a mim, e não aborrecer a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos e irmãos, e irmãs, e ainda também a sua própria vida, não pode ser meu discípulo.” O que isso significa? Isso se chama “hipérbole.” A utilização de pontos extremos para reforçar uma afirmação. Enfatizando o contraste entre amor e ódio. Jesus, na verdade, estava dizendo que o amor que devemos ter pelo Deus Todo-Poderoso deve ser tão grande que todas as outras afeições chegariam a desaparecer e serem vistas como ódio se comparadas ao amor que temos pelo Todo-Poderoso. Agora, isso me parecia difícil de engolir, mesmo já sendo cristão, até uns anos atrás quando resolvi comprar um televisor em cores para meus filhos para que eles assistissem desenhos à tarde. Na primeira tarde após termos comprado o aparelho, cheguei em casa, abri a porta e disse: “Oi, crianças, é o papai.” As crianças nem ligaram. Elas estavam assistindo televisão a dois palmos de distância da tela. Então, eu disse: “Crianças, o que é isso?” Desliguei a televisão e disse: “Meus filhos, comprei essa televisão para vocês se divertirem, mas, se ela ficar entre o nosso amor, entre o amor de vocês por mim, vou levá-la embora. A ordem de afeição está errada. Vocês estão colocando o amor de vocês no presente ao invés do provedor dele.” Agora, se você ama a sua mãe, seu pai, seu irmão, ou sua irmã, ou seus amigos, ou sua namorada, seu esporte, sua viajem, seu carro, seu dinheiro, seu ministério ou até sua própria vida mais do que você ama a Deus, estará colocando a sua afeição nos presentes ao invés de colocá-la no provedor. Isso se chama “afeições desordenadas.” Deus tem ciúmes do seu amor. Olhando para atrás nos meus 22 anos como não-cristão, percebo que não amava Deus de coração, mente, alma, e pensamento. O fato é que não existia nada em mim que desejasse Deus. A Bíblia diz: “Não há quem busque a Deus.” Odiamos a Deus sem causa. Claro, não odiamos nosso próprio deus que temos criado à nossa imagem, mas odiamos o Deus da Bíblia se O enxergarmos de maneira verdadeira. Ele é um Deus justo, um Deus de santidade, um Deus de justiça. O nome de Deus e a palavra ‘chato’ para mim eram sinônimos na época em que eu era um pecador. Eu não tinha desejo por Deus. Eu tinha quebrado o primeiro mandamento em mil pedaços. Na verdade, ele é que tinha me quebrado.

O segundo mandamento, versículo 4. “Não farás para ti imagem de esculturas.” Não farás para ti um ídolo, que significa ‘não farás um deus nem com suas mãos, nem com sua mente.’ O homem do século vinte normalmente não cria um deus com as mãos, mas ele cria um deus para se justificar. Ele cria um deus à sua própria imagem e semelhança. Ele cria um deus pessoal e diz: “Meu deus não é um deus de julgamento. Meu deus não criaria o inferno” Isso porque o deus dele não existe. Este deus é fruto de sua imaginação. Ele molda a imagem de um deus para se justificar, para justificar os seus pecados – e ama o deus que criou. O seu deus não lhe impõe padrão moral algum. O deus dele é um bobo – e aqueles que os criam são iguais a eles. (Salmo 115:7-8). A Bíblia diz: “Os idólatras não herdarão o reino de Deus.” Se você estiver andando no meio de uma linha ferroviária e um trem está à cinqüenta metros de você vindo numa velocidade de sessenta quilômetros por hora e você disser: “Bom, eu acredito que esse trem é de esponja.” Isso mudará alguma coisa? Não. Se você não sair da linha do trem, virará picadinho. Você não mudará a realidade com suas crenças. Você e eu podemos acreditar no que desejarmos sobre Deus, mas Ele diz “Eu sou o Senhor, Eu não mudo (Malaquias 3:6). Eu amo justiça e odeio a iniqüidade (Salmo 49:7), “ainda que o mau junte mão à mão, não ficará sem castigo” (Provérbios 11:21). O mau não ficará sem castigo. I Coríntios 6:9 “ Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus.” O terceiro mandamento, versículo 7 diz: “Não tomarás o nome do Senhor teu Deus em vão.” Bom, a maioria das pessoas usa o nome Deus como se fosse nada até chegar ao ponto em que eles nem percebem que estão usando o nome de Deus em vão. Eu estava num restaurante quando duas garotas sentaram-se à mesa ao lado, perto de mim. Depois de uns cinco minutos eu fui até elas e disse: “Com licença, vocês gostariam de ganhar este livreto? Dei um para cada uma. Uma delas disse: “Esse livreto é cristão?” No que eu disse: “É sim” Ela respondeu: “Eu sou cristã”. Eu virei para a amiga dela e disse: “Não pode ser, você?” e ela disse: “Porque você está dizendo isso?” Eu disse: “Porque nos últimos cinco minutos você blasfemou o nome de Deus cinco vezes.” Ela disse: “Meu Deus, é verdade!?” “Seis.” Eu disse: “Sabe o que você que está fazendo?” E ela disse: “não muito.” Eu disse: “Um homem acidentalmente bate o dedo com o martelo. Aiiiiiiiii. Que dor!” e precisa expressar como o que sente, então ele solta uns palavrões nojentos ou talvez use o nome de Deus e diga: “Ai, Meu Deus!” ou use o nome de Jesus Cristo. Fazendo isso, ele está tomando o santo nome de Deus, que está acima de todos os nomes, e o rebaixando para o nível de um palavrão nojento para expressar sua raiva.” Então, disse a ela: “Eu não teria coragem de fazer isso com o seu nome e você esteve fazendo isso com o nome do seu Criador? Eu não gostaria de estar no seu lugar no Dia do Julgamento nem por todo o dinheiro do mundo.” Ela disse: “Nossa! Você arruinou meu dia.” Ela sabia em seu coração que não deveria blasfemar o nome do criador dela. Tem-se dito: “Nunca confie em alguém que blasfeme o nome de Deus. Se eles blasfemam o nome de Deus que lhes deu vida, então também vão mentir para você e roubar você.” “O Senhor não tomará por inocente o que tomar seu nome em vão” (Êxodo 20:7) “Mas eu vos digo que toda palavra ociosa que os homens disserem hão de dar conta no dia do juízo.” ( Mateus.12:36).

Quarto mandamento, versículo 8: “Lembra-te do dia de Sábado para o santificar.” Isto significa dar a Deus a devida honra. Durante 22 anos de minha vida, eu não separei um dia sequer dos sete dias da semana para glorificar a Deus em espírito e em verdade. O fato é que eu não separei um segundo para buscar a Deus e dizer: “Deus, qual é o seu caminho? Eu quero glorificar a ti, eu quero amá-lo, eu quero ser agradecido, eu quero ser cheio de gratidão.” O quarto mandamento me matou.

Quinto mandamento, versículo 12: “Honra teu pai e tua mãe.” Isso significa dar valor a eles, honrá-los. Efésios 6:2 diz que é o único mandamento com promessa. Por outro lado, se não for cumprido, colhem-se também as conseqüências. “Para que te vá bem para que se prolonguem os teus dias na terra” se você não honra seu pai e sua mãe, se não dá valor a eles como sendo os vasos que Deus usou para lhe dar vida, então tudo não irá bem com você e seus dias não serão longos na terra.

Sexto mandamento, versículo 13: “Não matarás.” A Bíblia diz que se você tiver raiva sem causa, você está em perigo do fogo do Inferno (Mateus 5:22) I João 3:15 diz que se você tem ódio no seu coração, você é um assassino. Você poderia dizer: “Eu gostaria de matar aquele cara.” Deus diz: “É o mesmo que fazer.” Ele sabe o porquê de você estar se segurando: não é por causa da bondade do seu coração ou por consciência, mas por medo das conseqüências de ser pego cumprindo o desejo do seu próprio coração. Nos dias atuais, em que aborto é tão prevalente, devemos fazer barulho nos púlpitos e deixar isso ressoar em todo mundo: “Não matarás.”

Sétimo mandamento, versículo 14: “Não adulterarás.” Antes de ser cristão, a atitude que eu possuía em minha auto-justiça era essa: “Não matarás.” ‘Eu não matei ninguém.’ “Não adulterarás.” ‘Eu nunca fiz isso.’ “Não roubarás.” Eu só roubava fruta das árvores dos vizinhos quando era criança e isso não conta. Bom, eu provavelmente chegarei lá se existir mesmo o Céu.’ Mas, na noite da minha conversão, eu vi em Mateus 5:27-28: “Ouvistes que foi dito aos antigos: Não cometerás adultério.” Eu pensei: “legal,” mas, então, eu li as palavras: “Eu, porém, vos digo, que qualquer que olhar para uma mulher para cobiça-la, já em seu coração cometeu adultério com ela.” De repente eu vi que Deus requer a verdade que vem de dentro. Que Deus enxergava meus pensamentos e pecados secretos. E, de repente, eu clamei: “Ai de mim! Estou perdido. O que preciso fazer para ser salvo?” Subitamente, a cruz – quero dizer, é que vinha celebrando a Páscoa por tantos anos e de repente a cruz fez sentido. De repente me vi trancafiado na prisão dos meus próprios pecados, e lá estava a chave abrindo a porta: o Evangelho. Eu estava livre para sair pelo que Jesus havia feito na cruz.

Oitavo mandamento, versículo 15: “Não roubarás.” I Coríntios 6:10 diz: “Os ladrões não herdarão o reino de Deus.” O que você precisa roubar para ser um ladrão? Um clipe de papel é o suficiente. Dez centavos já bastam. Deus não se impressiona com o valor. Se você roubar alguma coisa, se tirar vantagem do seu chefe, você é um ladrão e de maneira nenhuma poderá entrar no reino de Deus. “Quem subirá ao monte do Senhor, ou quem estará no seu lugar santo? Aquele que é limpo de mãos e puro de coração,” (Salmo 24:3-4).

Nono mandamento, versículo 16 “Não dirás falso testemunho contra teu próximo.” Mentirinhas “bobas” e mentiras “necessárias.” Quantas mentiras você precisa dizer para ser um mentiroso? Somente uma. Apocalipse 21:8: “Todos os mentirosos terão a sua parte no lago que arde com fogo e enxofre.”

Décimo mandamento, versículo 17: “Não cobiçarás.” Significa ser materialista, ou ganancioso em relação aos pertences de alguém. I Coríntios 6:10 diz: “O avarento não herdará o reino de Deus.” Agora o último prego no nosso caixão, Tiago 2:10: “Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos.” Se você tentar guardar a Lei de Deus e ainda sim ofender em um ponto, você é culpado de todos. De fato, a Bíblia diz: “Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da Lei, para fazê-las.” (Gálatas 3:10). Se você disser: “Eu vou me acertar com o Senhor guardando os mandamentos, você terá que guardar todos eles: morais, cerimoniais e civis. “Maldito todo aquele que não permanecer em todas as coisas que estão escritas no livro da Lei para fazê-las.” Quebre uma das leis de Deus e você será culpado por todas. A mesma coisa com a lei Civil: você não precisa violar dez leis para ter a polícia atrás de você, uma só já basta. Você se torna um transgressor e fica em débito com a justiça. Cada fio de cabelo na sua cabeça está contado. De toda palavra ociosa que os homens disserem hão de dar conta no dia do juízo. Deus vê todos os seus pensamentos. “Aquele que formou o olho, não verá?” (Salmo 94:9). Será que Deus pode criar o olho e ainda assim ser cego? Não, os olhos do Senhor estão em todos os lugares vendo o bem e o mal. Deus formou as orelhas. Ele ouve tudo que dizemos. Ele vê na escuridão como se fosse pura luz. Ele é perfeito, santo, justo e bom. Ele separou um dia em que julgará o mundo em justiça. Uma vez que você conduz o pecador à essência da lei, somente precisa dizer a ele. “Se Deus fosse julgar você por este padrão, isto é, pureza de pensamentos, palavras e ações – ‘seja perfeito, como seu pai no Céu é perfeito’ – se Ele fosse julgá-lo pela Lei, você seria inocente ou culpado? Céu ou Inferno?”Mas, quando o pecador diz: “Não me importo de ir para o inferno: todos os meus amigos estarão lá,” diz isso por incredulidade. Como Jonathan Edwards disse: “Quase todo homem natural que ouve sobre Inferno lisonjeia-se ao ponto de dizer que escapará.” Ele não acredita que é ruim o suficiente para ir para o Inferno. Mas, a Lei moral de Deus é capaz de mostrar-lhe que é ruim o suficiente para ir para o inferno. É por isso que Paulo “arrazoou” com Félix (Atos 24:25): “‘Agora vamos raciocinar juntos’, disse o Senhor.” (Isaías 1:18) e quando Paulo arrazoou com Felix, ele apelou para o bom senso dele. Félix tremeu porque de repente viu que o Inferno fazia sentido. Quero dizer, realmente faz sentido. Você argumenta com o pecador que a coisa mais razoável, racional, lógica e inteligente que há é o Inferno existir. Você pode dizer: “O que você quer dizer? Bom, se um homem arrombar a casa de uma velhinha para estuprá-la, estrangulá-la até a morte, queimar o seu corpo, e conseguir se safar porque não há evidência, devemos nos perguntar: “O que Deus pensa sobre isso?” Quero dizer, será que Deus que vê tudo e simplesmente diz: “Bom, esquece, o cara estava apenas se divertindo.” Será que Deus não tem senso de justiça? Atribuímos aos homens com seus sistemas de cortes e tribunais maior senso do que é certo e errado, mais senso de justiça, que o Deus todo poderoso? A Bíblia diz: “Que ao culpado não tem por inocente.” Se Deus não punir o crime ou pecado, então Deus é injusto. Qualquer juiz que faz vista grossa para o trabalho da máfia, é um juiz corrupto. E se Deus não punir o pecado, se ele se tornar cego para assassinato, estupro, ganância, concupiscência, inveja, ciúmes, orgulho, etc. – todo tipo de pecado – então Deus é injusto. Qual é a distância que você está em relação à verdade? O todo poderoso perverterá a justiça? Não Deus separou um dia em que Ele julgará o mundo em justiça. Mas, Ele não julgará somente concupiscência, inveja, ciúmes, ganância, rebelião, desobediência, Ele punirá o pecado onde quer que o encontre. Se você é filho ou filha de Adão, foi achado pecado no seu coração. “Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças como trapo de imundícia,” “Horrenda coisa é cair nas mãos do Deus vivo. Minha é a vingança, diz o Senhor.” (Isaías 64:6, Hebreus 10:30-3l).

Veja que Paulo poderia ter obtido uma decisão de Félix. Bastava que ele tivesse dito: “Dê-me a sua mão. Decida-se por Cristo agora.” Teria sido uma falsa conversão. Félix não era penitente. Ele disse: “Siga o seu caminho; em tempo oportuno, mandarei chamá-lo.” Félix era impenitente. Não era um pecador ansioso. Ele era aberto, mas não estava ansioso por ser salvo – e devemos perceber essa linha divisória. Ele estava aberto para o evangelho, mas não estava ansioso: ele não queria se apartar dos pecados. Paulo talvez foi embora daquela corte dizendo: “O que eu fiz de bom Senhor? Quero dizer, argumentei com ele sobre pecado, justiça e julgamento. O que fiz de bom?” Veja que a Bíblia diz: “Félix tremeu.” Talvez Paulo não tenha o visto tremendo. Talvez tenha sido um tremor do coração, ou na mão, ou nos lábios – não sei. Talvez Paulo estivesse a certa distância dele. Mas, Deus é fiel. E quando você evangeliza alguém, talvez você os veja tremerem fisicamente debaixo do peso da Lei. Eu já vi. Alguns talvez digam: “Vá embora. Quando eu quiser, eu chamo você.” Mas, não desanime quando estiver evangelizando. Deus é fiel para regar a Sua Palavra. Algum tempo atrás eu estava de pé onde prego. Um jovem chegou perto de mim e disse: “Você se lembra de mim?” Eu disse: “Não tenho certeza.” Ele disse: “Há dois anos, durante um encontro, você chegou a mim e me disse algumas coisas duras.” Eu não consegui me lembrar do que ele estava falando. Provavelmente eu havia falado sobre a Lei de Deus para ele. Mas ele disse: “Demorou um ano, mas agora, eu sou Cristão.” Ele disse: “Muito obrigado.” Deus é fiel: Ele dará o crescimento. Seja fiel para o chamado e apresente todo o conselho de Deus e fique livre do sangue de todos os homens.

Assim, temos visto os princípios: Relacionar, Criar, Convencer. Se alguém está sob convicção, devemos saber como revelar Cristo ao indivíduo. A Bíblia diz que Jesus falou assim à mulher penitente, quando ela perguntou sobre o Messias: “Eu que vos falo sou Ele.” “Cristo nos redimiu da maldição da Lei, fazendo-se maldição por nós!” Quando alguém treme debaixo do peso da Lei, diga-lhe que Cristo nos redimiu da maldição da Lei, fazendo-se maldição por nós. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu filho unigênito” (João 3:16).

Certa vez, eu estava em um avião. Uma mulher estava sentada ao meu lado, então eu comecei a conversar de maneira natural. Eu disse: “Onde você estava?” Ela disse: “No Norte.” “O que você anda fazendo lá ultimamente?” Ela disse: “Bom, estive esquiando. Então em dez minutos nos relacionamos um com o outro falando sobre esqui e pernas quebradas, surfe e outras coisas. E a conversa fluía em um nível natural. Ela disse: “Em que você trabalha?” Eu disse: “Escrevo livros cristãos. Você teve uma formação Cristã?” Ela respondeu: “Sim, anglicana.” Eu disse: “Você vê a sua necessidade do perdão de Deus? “Ela disse: “Particularmente, não.” Então, contei para ela uma história que achava poderosa. Eu disse: “Bom, uma garota estava olhando uma ovelha comer grama. Ela pensou: Aquela ovelha não parece branca comparada à grama? Então começou a nevar. E então a garota disse: Aquela ovelha não parece suja comparada à neve? Era a mesma ovelha, em um diferente cenário. Agora se você e eu nos compararmos pelos padrões humanos, nos acharemos razoavelmente limpos. Mesmo porque, em nossa análise, há muitas pessoas piores do que nós. Minha vida comparado a de Adolf Hitler faz com que eu me veja puro e limpo. Mas, no Dia do Julgamento, Deus usará a justiça de Sua Lei como pano de fundo alvo como a neve. “E quando você usa a Lei de Deus para se comparar, você vê que não é tão limpa como pensou que fosse.” Assim, eu a conduzi através da Lei de Deus. Mostrei-lhe a essência da Lei de Deus. Que Deus requer verdade no interior. Ela disse: “Olha, isso é o que venho fazendo: medindo a mim mesma pelos padrões dos homens.” Ela disse: “O que devo fazer?” Então, eu falei-lhe sobre a cruz. Ela ficou com os olhos cheios de lágrimas e tive o prazer de conduzi-la a render-se ao Senhor Jesus enquanto o avião aterrisava. Perguntei-lhe: “Você tem Bíblia?” Ela respondeu: “Sim, tenho uma em casa.” Eu disse: “Você conhece algum cristão?” Ela disse: “Sim. Alguém estava falando comigo sobre esse assunto no trabalho.” Glória à Deus! Alguém já estava semeando. Eu tive o prazer de colher. Aquele que planta é nada e aquele que colhe é nada, mas é Deus que dá o crescimento. Glória a Deus!

Bem, voltando às Escrituras, João 4. Percebam as palavras de Jesus. João 4:35: “Não dizeis vós que ainda há quatro meses até que venha a ceifa? Eis que vos digo: Levantai os vossos olhos, e vedes as terras, que já estão brancas para a ceifa.” Ouça as palavras do filho de Deus. Ele disse: “Levantai os vossos olhos, e vedes as terras.” Ele disse: “Levantai os vossos olhos! Eis que vos falo: “Levantai os vossos olhos, e vedes as terras, que já estão brancas para a ceifa.” Esta nação está pronta para o reavivamento de acordo com Jesus Cristo. Não é preciso esperar que haja um colapso econômico. Não temos que esperar por esse tipo de coisa. Percebam que o problema não é com as terras, o problema está com os trabalhadores. Temos fracassado pela ignorância de não pegarmos a foice da Lei de Deus e colher os corações dos homens. Enfim, o problema não está nos campos, mas com os trabalhadores.

Eu estava em Sacramento, numa conferência. Na quinta à tarde, disseram-nos para sairmos e evangelizarmos. Então, alguns de nós saíram. Estava quente, 31 graus centígrados e fomos para perto do rio, e lá se encontrava um casal soprando para encher um barco inflável do tamanho do navio Queen Mary – hipérbole – e disse a eles: Querem ajuda? Querem um pouco do meu ar?” Eles disseram: “Claro.” Então, preparei meus pulmões e comecei a soprar e soprar, e comecei a me relacionar com aquelas pessoas. Depois de uns 20 minutos, conseguimos terminar. Aí eles disseram: “Que sotaque é esse? De onde você é? Oque faz por aqui?” Eu disse: “Estou participando de um seminário cristão logo ali.” Eles disseram: “Ah! Claro.” Eu disse: “Você teve formação cristã?” O homem disse: “Ah! Sim. E um dia verei a necessidade de voltar a Deus.” Ele disse: “Quando vir a minha necessidade, darei minha vida novamente a Ele.” Então, eu o peguei nisso. “Quando ‘vir’ a sua necessidade?”, disse a ele. Então, o conduzi à Lei de Deus, a essência da Lei de Deus, pela qual Deus requer verdade no interior. Pratica a lascívia? Você é um adúltero, odeie e você é um assassino, diga uma mentira, e você será um mentiroso caminhando em direção ao Lago de Fogo. Disse a ele: “Se Deus fosse julgá-lo por esse padrão – pureza, santidade nos pensamentos, palavra e atitudes – você seria inocente ou culpado?” Ele disse: “Culpado.” “Céu ou Inferno?” Ele pensou por 20 segundos e, então, disse: “Inferno.” Disse-lhe então: “Agora você vê a sua necessidade de entregar sua vida a Deus?” Ele disse: “Sim, senhor.” Eu virei para a mulher dele e disse: “Você vê a sua necessidade do perdão de Deus?” Ela disse: “Sim, eu vejo.” “Você quer entregar a sua vida para Jesus Cristo hoje?” Ela disse: “Sim, senhor.” Eu tive o prazer de orar com eles. Minha confiança foi que não apelei para a emoção deles, mas para seu livro-arbítrio e consciência. O motivo deles foi puro: fugir da ira vindoura.

Em outra ocasião, eu estava viajando de avião e ao meu lado ia uma senhora das Ilhas Fiji. Ela tinha cabelos pretos armados no estilo que usam em Fiji, então me virei para ela e disse: “Você é de Fiji?” Ela disse: “Sim,” “Palavra de Conhecimento” (gargalhadas na platéia) Perguntei-lhe: “Como é a cultura em Fiji?” Então, falamos sobre a cultura de Fiji, e fui me relacionando com ela no nível natural por uns cinco minutos. “Tem alguma igreja cristã em Fiji?” “Sim, algumas.” Então, perguntei: “Você teve uma formação cristã?” Ela disse: “Tradicional.” Eu disse: “Você vê a sua necessidade do perdão de Deus?” Ela disse: “Não.” Então, eu a conduzi através da Lei de Deus, e sem nenhuma provocação da minha parte, ela colocou os dedos nos lábios e disse: “Eu sou uma pecadora.” Outra vez, tive o prazer de conduzi-la a Jesus Cristo. Aquele que planta é nada, aquele que colhe é nada, mas é Deus é quem dá o crescimento.

Ouçam só o que diz esta carta que recebi de um pastor. Eu havia falado com ele ao telefone por uns 20 minutos a respeito do uso da Lei. Ele escreveu: “No domingo à noite, incluí algumas das demandas da Lei em minha mensagem, e diria que foi a primeira vez que fiz isso. Nunca havia feito tal coisa. No final do culto, dois homens vieram à frente para entregar a vida para Jesus. Perguntei o porquê de eles estarem ali e um deles me disse: ‘Eu violei a Lei de Deus.’ Isso realmente me emocionou e confirmou no meu coração a correção da pregação da Lei de Deus. Quando ele disse isso foi como se Deus tivesse dito. Você está na pista certa.”

A Lei funciona e – ouçam com cuidado – Satanás odeia isso, porque cura o cristão da doença da frustração evangélica: vive correndo em círculos em um processo cada vez mais decadente. Essa cura ocorre por que este conhecimento coloca uma foice afiada em suas mãos, transformando-o em um ativo trabalhador para o reino de Deus.

Agora, se as estatísticas forem mesmo verdade, somente se retêm 10% do que se ouve em seminários como este. Isso sem levar em conta que esta é uma estatística secular, ou seja, você provavelmente esquecerá 90% do que ouviu, isto sem Satanás jogar as sementes dele. Agora, como eu já tinha dito, nosso ministério é sem fins lucrativos, tudo o que arrecadamos é investido para fornecer material sobre evangelismo a baixo custo para o corpo de Cristo. Arazão pela qual encorajamos a aquisição dos livros e áudios – a preços baixos – é para que você ouça mais de uma vez e se familiarize com o uso da Lei de Deus. Certo pastor me telefonou e disse: “Eu tive que orar por umas duas semanas para que isso entrasse no meu espírito. Já fazia longo tempo que me sentia estagnado em relação ao evangelismo. Todas as vezes que saía para evangelizar, eu entrava em uma linha de evangelismo humanista.” Veja bem, você pode ir embora agora e sair dizendo: “Sabe, eu entendi. ‘A Lei do Senhor é perfeita na conversão da alma!’ ‘Pela Lei vem o conhecimento do pecado.’ ‘Paulo disse: Mas eu não conheci o pecado senão pela Lei.’ ‘A Lei serviu de aio para nos conduzir a Cristo.’ ‘A Lei é boa se alguém a usa legitimamente para o propósito ao qual foi designada.’ Eu entendi! Eu entendi!” E, aí, na próxima vez que encontra um perdido, você vira para ele e diz: “Você nunca achará verdadeira paz até que aceite Jesus Cristo.” Há certos hábitos que são difíceis de vencer.

Santos, precisamos ser reprogramados. Segure firme o computador que é a sua mente e diga ao Senhor: “Ó, Deus, muda todos os meus pensamentos para que eu volte ao fundamento e maneira bíblicos de enxergar os pecadores e que possa ajudar a conduzi-los a chegarem a Cristo com conhecimento do pecado e arrependimento genuínos. Que eles possam chegar à verdadeira e genuína contrição, e sejam tirados da escuridão e transportados para dentro da gloriosa luz.” Ah, Santos, faça disso o seu principal objeto de oração até que o uso da Lei para trazer o conhecimento do pecado se torne algo tão natural quanto amar a Deus.

Amém!
Ray Comfort

Tradução: Elaine Freire

0 comentários:

Postar um comentário