MERGULHANDO NA PALAVRA

NOVA VIDA

TODA SEXTA-FEIRA

TODA SEXTA-FEIRA

LIBRAS

LIBRAS

Páginas

ORAÇÃO

De uma feita, estava JESUS orando em certo lugar; quando terminou; um dos seus discípulos lhe pediu: SENHOR, ensina-nos a orar como também João ensinou aos seus discípulos. (Lucas 11:1)

Quando JESUS esteve na terra, como homem, ensinou-nos como orar e, além disso, manteve
comunhão estreita com o Pai através da oração, por isso, Ele é nosso maior exemplo de alguém que orava.

Naqueles dias, retirou-se para o monte a fim de orar, e passou a noite orando a DEUS. E quando amanheceu, chamou a si os seus discípulos e escolheu doze dentre eles, aos quais deu também o nome de apóstolos. (Lucas 6:12 e 13)
Se JESUS precisava orar, quanto mais nós! Quanto mais tempo dispomos para ficar em contato com DEUS, mais Ele falará conosco, dando-nos orientações, assim como fez com JESUS na questão da escolha dos doze discípulos.

É claro que o diabo tentará impedir a oração em nossas vidas, trazendo-nos cansaço, falta de tempo, desânimo, incredulidade, etc, mas será justamente através dela que neutralizaremos essas ações malignas. Se o diabo quer parar sua oração, ore ainda mais, pois assim, ele será derrotado.

Orar é conversar.Dentre tantas armas que DEUS deu-nos, tais como sangue de JESUS, a fé, o jejum, a Palavra, os
dons, uma das principais é a oração, pois é através dela que estreitamos o nosso vínculo com DEUS.
Orar é conversar com Ele; é falar e escutá-lo por meio de palavras audíveis ou do silêncio mesmo; é uma forma de comunicação que Ele escolheu para que nos comunicássemos e nos relacionássemos com Ele.

Oração é uma conversa constituída de duas partes: nós e DEUS e, por meio dela, perguntamos e Ele responde-nos; Ele pergunta e nós respondemos; recebemos diretrizes que acabam com nossas dúvidas; clamamos e Ele ouve-nos; pedimos e Ele concede; buscamos sua face e Ele revela-se; buscamos sua presença e recebemos Sua unção; lutamos e conquistamos a vitória através de JESUS. A oração tem o poder de unir a nossa vida a DEUS.

Para orar não é necessário ter o dom da intercessão. Todos devem orar, bastando, para isso,
conversar com o Pai. Esse estudo visa a criar em nossa vida o hábito de orar, o costume de praticar a oração.
DEUS não nos criou para dependermos da oração de outras pessoas. Claro que precisamos orar uns pelos outros, mas, antes de mais nada, temos de ter uma vida de oração com DEUS. O ESPÍRITO SANTO, que habita na vida do nosso irmão, é o mesmo que habita em nós, por isso, precisamos vigiar com relação ao hábito de pedir oração e parar por aí, para que isso não se torne uma idolatria a homens. DEUS quer que cada um de nós dobremos os joelhos e oremos.

Não existem fórmulas secretas ou jargões infalíveis para que uma oração seja eficaz; o que DEUS
deseja, porém, é que ela seja sincera e tenha a motivação correta. É Ele quem age por meio de nossa oração, através do ESPÍRITO SANTO.
E da mesma maneira também o ESPÍRITO ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo ESPÍRITO intercede por nós com gemidos inexprimíveis.
E aquele que examina os corações sabe qual é a intenção do ESPÍRITO; e é ele que segundo DEUS intercede pelos santos. (Romanos 8:26-27)
Devemos enxergar a oração como uma oportunidade de nos aproximarmos de DEUS, e não como
uma obrigação; ela é a nossa chance de trazer aquilo que está no plano espiritual para o físico: Ele
mesmo nos capacitará e ensinará a orar.

(...) o DEUS que vivifica os mortos e chama a existência as coisas que não existem. (Romanos 4:17)
Primeiramente as coisas acontecem no plano espiritual (sobrenatural) para depois acontecerem no físico (natural) e é por intermédio da oração que trazemos aquilo que já ocorreu no sobrenatural à existência no natural. A oração é o meio de transformar a teoria em realidade pessoal, viva e eficaz.
Não há outra maneira de trazer as bênçãos e promessas para a nossa realidade física, a não ser pela oração, pois ela tem o poder de transformar nossa própria vida, nossa vida com DEUS, com o próximo, o mundo em que vivemos e as pessoas à nossa volta.

A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos. (Tiago 5:16)

Os tempos Chronos e Kairos.Existem duas palavras gregas para traduzir "TEMPO": chronos, ou o tempo geral em que algo é
realizado e kairos, ou tempo estratégico, certo, ou seja, o momento oportuno em que algo deve ser feito.
Com toda oração e súplica, orando em todo TEMPO no Espírito e para isso, vigiando com toda a perseverança e súplica por todos os santos. (Efésios 6:18)
A melhor oportunidade para se realizar algo ocorre no tempo kairos: uma oração na hora certa
acontece no tempo kairos; quando alguém está em perigo ou sujeito ao ataque de satanás,
chamamos esse momento de kairos. A passagem bíblica de efésios 6, que acabamos de ler, mostranos o tempo kairos. Nosso momento devocional, no entanto, ocorre no tempo chronos.

Um pressentimento ruim, uma revelação ou alerta de DEUS do tipo: “ore agora por sua mãe, ore
agora por seu filho, pois eles estão em perigo; o inimigo acabou de preparar um laço de acidente para eles”, ocorre no tempo kairós.
Ao reservarmos uma hora por dia para orar, estamos no tempo chronos, mas mesmo estando nesse tempo, ainda assim, podemos entrar no tempo kairos de DEUS, à medida que, a partir daquela uma hora inicial, passamos duas, três, quatro horas seguidas orando, sem sequer notar isso.

Perceba, então, que podemos estar no tempo chronos, no nosso devocional diário e, de repente,
entrarmos no tempo kairós de DEUS.

A oração diária refere-se ao tempo chronos, mas estar em espírito de oração, ao tempo kairos. No tempo chronos é possível organizar as coisas e até prever quais serão os motivos da oração, no kairos, contudo, quem controla o tempo e os motivos da oração é o próprio ESPÍRITO SANTO.
Oração oportuna.A nossa vida é cercada de oportunidades: tratam-se daqueles momentos estratégicos em que
devemos nos posicionar e realizar algo importante, algo que nos mantenha no caminho certo, ou que nos recoloque no caminho certo. DEUS, em sua Palavra, orienta-nos a aproveitarmos as
oportunidades que nos são dadas. Essa pode ser a diferença entre uma vida abundante e uma vida medíocre.

Portai-vos com sabedoria para com os que são de fora; aproveitai as oportunidades. (Colossenses 4:5)

Todos os dias, deparamo-nos com escolhas a serem feitas e atitudes a serem tomadas. DEUS
respeita-nos, respeita nossas escolhas e decisões; Ele mesmo deu-nos o poder de fazermos certas
escolhas e estas podem determinar o rumo da nossa vida. Sendo assim, Ele também nos deu do seu ESPÍRITO SANTO, para que em momentos de decisão tenhamos a quem consultar; alguém que nos alertará sobre escolhas erradas, bem como nos aprovará nas certas.

A intenção de satanás é prevalecer e de levar vantagem sobre nós, fazendo com que não vivamos
aquilo que DEUS tem para nós. Já vimos na aula das promessas e princípios espirituais que, se
ferirmos as leis espirituais criadas por DEUS, sofreremos as conseqüências disso e, dessa forma,
satanás alcançará vantagem sobre a nossa vida.

Para que satanás não alcance vantagem sobre nós, pois não lhe ignoramos os desígnios. (2 coríntios 2:11)

A partir do momento que nos mantemos em estado de alerta, não ignorando as estratégias do
inimigo, ele não conseguirá prevalecer sobre nós, mas acontecerá o contrário: nós prevaleceremos sobre ele. O plano de DEUS na nossa vida deve prevalecer sobre todo plano distorcido de satanás.

Aproveitando as oportunidades: orar e agir.DEUS quer que conciliemos a oração com as oportunidades. E era justamente isso que o profeta
Samuel fazia: ele não apenas tinha uma vida de oração, mas também aproveitava as oportunidades.

Quanto a mim, longe de mim que eu peque contra o SENHOR, deixando de orar por vós; antes vos ensinarei o caminho bom e direito. (1 Samuel 12:23)
Esse texto mostra-nos duas coisas: em primeiro lugar, se não orarmos já estaremos pecando e em segundo, nossa oração é o que antecede as promessas, as conquistas e as bênçãos. Depois de
orarmos, precisamos aproveitar as oportunidades, agindo em função daquilo que foi orado. Isso é
conciliar oração com momento oportuno.

Samuel orava pelo povo e, além disso, ensinava-os sobre o caminho bom e direito. A oração prepara o cenário nas regiões espirituais, para que a ação física consume a promessa.
A vontade de DEUS, por exemplo, é que você interceda, ore pela salvação, libertação e restauração de seu irmão, mas não acaba aí. Ao orar, você enfraquece as forças das trevas e do exército que está destruindo seu irmão e é justamente nesse momento que entra a ação física: encontrar-se com ele para falar sobre JESUS. A proteção que foi colocada por satanás sobre seu irmão é arrancada através da sua oração e ele, então, passa a estar vulnerável para escutar a palavra de DEUS e ser tocado. A oração produzirá maiores efeitos e respostas mais rápidas se for acompanhada de atitudes tomadas nos momentos estratégicos: isso é aproveitar as oportunidades.

Temos outro exemplo: ao orar pedindo a DEUS um emprego, você estará preparando o mundo
espiritual a seu favor, mas não pode parar aí. Depois de orar, terá de agir: procurar o emprego, enviar currículos, ir às entrevistas. Isso é aproveitar a oportunidade que foi preparada durante a oração.
Se sair para evangelizar sem preparar essa guerra através da oração, não obterá resultados, mas se agir diferentemente disso, ou seja, se investir tempo em oração a respeito dessa situação, a diferença será clara: as pessoas estarão mais abertas e interessadas em ouvir a palavra de DEUS. Isso é aproveitar a oportunidade que foi preparada durante a oração.

Todas essas situações ou exemplos mencionados podem ser comparados a uma guerra, em que, num determinado momento, o exército que possui reféns torna-se vulnerável; o exército que está prevalecendo, então, não pode parar de atacar, antes deve aproveitar a oportunidade e continuar avançando contra o inimigo, para derrotá-lo, obtendo, assim, êxito no resgate dos reféns.

Compare ainda, a um jogo de futebol, em que o zagueiro teve de sair do campo para receber
atendimento médico e todos sabem que em dois ou três minutos, no máximo, ele retornará ao campo.

Por isso, o time que está completo, ao invés de ficar tocando a bola na defesa, deve atacar o
adversário, sabendo que este está enfraquecido e debilitado e a reação será a de acuar-se na defesa, assim, esse time poderá aproveitar a única oportunidade real de vencer essa partida.

DEUS diz: aproveite as oportunidades que lhe são oferecidas.

Então, quando você orar pela salvação do seu amigo, logo após isso, entre em contato com ele, conte-lhe aquilo que DEUS tem feito na sua vida; ao orar por seus pais, em seguida fale com eles, seja a diferença, dê bom testemunho; ao orar antes de uma entrevista de emprego, saiba que o cenário espiritual já está preparado para o seu êxito; creia nisso!

O profeta Samuel sabia que sua oração deixava o povo aberto para receber os ensinamentos do
caminho bom e direito, por isso, ele não se limitava à oração, mas também agia: orar + ação = oração.
Três opções como centro da oração.Nossas orações podem ter como tema central: DEUS, nós ou os outros:
a) DEUS como centro da oração: oramos a DEUS pelo que Ele é, pelo que Ele faz e pelo que Ele tem feito por nós. Apresentamos nossa gratidão, louvor e adoração. O motivo principal desse tipo deoração é a gratidão, a adoração e o amor ao nosso DEUS;
b) Nós mesmos como centro da oração: oramos a DEUS por uma necessidade pessoal, buscamos
uma resposta para alteração de alguma circunstância na nossa vida, que está fora dos padrões de
DEUS. O motivo principal desse tipo de oração é a mudança pessoal e a petição por necessidades
específicas;
c) Os outros como centro da oração: oramos a DEUS como sacerdotes, como intercessores, levando a necessidade de outra pessoa a DEUS. Colocamo-nos no lugar de outro e pleiteamos sua causa como se fosse nossa. O motivo principal desse tipo de oração é ver as circunstâncias alteradas na vida da outra pessoa.
Mas por que precisamos orar?Para entendermos o porquê da oração, precisamos entender o propósito de DEUS para nós. Quando DEUS formou o homem, em primeiro lugar Ele o fez a sua imagem e semelhança.

Também disse DEUS: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra. Criou DEUS, pois, o homem à sua imagem, à imagem de DEUS o criou; homem e mulher os criou. E DEUS os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e
sobre todo animal que rasteja pela terra. (Gênesis 1:26-28)

DEUS quer que recuperemos a perfeita comunhão com Ele e a autoridade sobre toda a terra; coisas que Adão e Eva tinham, mas jogaram fora em função do pecado. DEUS andava com Adão e Eva pelo jardim do Éden, havendo ali um relacionamento face a face entre eles. Por meio da oração, recuperamos tanto a intimidade com DEUS, quanto a autoridade que inicialmente havia sido dada ao homem.

Quando contemplo os teus céus, obra dos teus dedos, e a lua e as estrelas que estabeleceste, que é o homem, para que dele te lembres. E o filho do homem, para que o visites? Fizeste-o, no entanto, por um pouco, menor do que DEUS e de glória e de honra o coroaste. Deste-lhe domínio sobre as obras da tua mão e sob seus pés tudo lhe puseste: ovelhas e bois, todos, e também os animais do campo; as aves do céu, e os peixes do mar, e tudo o que percorre as sendas dos mares. (Salmo 8: 3-8)
O nome Adão significa “homem“ e quando a Bíblia usa o termo homem, a palavra hebraica é “Adão”.
O nome Adão representa a todos nós e o que DEUS planejou para Adão, planejou para toda a raça humana também, ou seja, ser à imagem e semelhança dEle e ter autoridade sobre a terra.

Nós somos os representantes de DEUS na Terra.A palavra “domínio”, em seu original hebraico (mashal), dá-nos a idéia de que Adão e seus
descendentes eram os gerentes de DEUS, mordomos ou governadores instituídos por Ele aqui na
Terra, isto é, Adão era representante da imagem de DEUS através da autoridade e do domínio. DEUS nunca abandonou seu direito de propriedade da Terra, mas atribuiu à humanidade a
responsabilidade de governá-la, tornando sua glória reconhecida por intermédio dos seres humanos e, para tal, os homens precisam representá-lO com perfeição.

Os céus são os céus do SENHOR, mas a terra, deu-a ele aos filhos dos homens. (Salmo 115: 16)
DEUS QUER que nós sejamos os representantes dEle aqui na Terra.

De sorte que somos embaixadores em nome de CRISTO. (2 Coríntios 5:20)
Uma embaixada nada mais é do que um lugar dentro de um outro lugar; por exemplo: a embaixada brasileira na Argentina é um território brasileiro dentro do argentino, com autoridade exercida pelo governo brasileiro e não pelo argentino; aquele pedaço de terra, bem como as leis vigentes ali, são brasileiros. Um cidadão brasileiro, se for perseguido na Argentina, deverá refugiar-se na embaixada brasileira.
Um embaixador é aquele que representa algo ou alguém e o apóstolo Paulo disse que nós somos
embaixadores de CRISTO aqui nessa terra; nós O representamos e, por isso mesmo, é que fomos criados à Sua imagem e semelhança e recebemos dEle a autoridade.

Pois a nossa pátria está nos céus. (Filipenses 3:20)
Mas agora aspiram a uma pátria superior, isto é, celestial. (Hebreus 11:16)
Quando optamos por seguir a CRISTO, nos desvinculamos dessa terra e passamos a ter outra terra natal: a pátria celestial.

DEUS delegou a função de representá-lO diante dos homens e, isso, através do exercício de Sua
autoridade.
Quando uma pessoa comenta que você é diferente e que transmite uma paz, isso quer dizer que você está fazendo bem o seu papel de representante de DEUS. Nós devemos carregar a glória de DEUS aonde quer que formos.
O homem, porém, permitiu que o pecado entrasse no mundo e, em função disso, tanto a glória de
DEUS, quanto a representação dEle, foi-se, perdeu-se do homem. É por isso que devemos ser
transformados de glória em glória, para que o reconhecimento da imagem, autoridade e domínio de DEUS sejam alcançados novamente.

Pois todos pecaram e carecem da glória de DEUS. (Romanos 3:23)
E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do SENHOR, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo SENHOR, o ESPÍRITO. (2 Coríntios 3:18)

Com a entrada do pecado na humanidade, os valores estabelecidos por DEUS foram invertidos: o
diabo colocou-se entre DEUS e o homem; este, então, perdeu a sua autoridade sobre a terra
entregando-a nas mãos do diabo. É por isso que o mundo pertence a satanás.

Sabemos que somos de DEUS, e que o mundo inteiro jaz no maligno. (1 João 5:19)
Através da oração nós tiramos o diabo de entre DEUS e nós, retomamos a autoridade espiritual sobre a terra em que pisarmos, bem como o gerenciamento e controle sobre esta.

Todo lugar que pisar a planta do vosso pé vo-lo tenho dado, como Eu prometi a Moisés. (Josué 1:3)
Com isso podemos chegar à conclusão que:
a) Se a Terra continuasse um paraíso seria por causa da humanidade;
b) se a serpente jamais adquirisse o controle desse mundo físico seria por causa da
humanidade;
c) se o pecado jamais tivesse entrado no mundo, seria por causa da humanidade;
d) se o homem nunca tivesse se afastado de DEUS e deixado a comunhão com o SENHOR, seria
por causa da humanidade.
Enfim, a humanidade estava realmente com toda a responsabilidade sobre a terra. Se a situação do mundo está dessa forma caótica, obviamente não é por causa de DEUS.

DEUS sempre teve em mente manter um relacionamento com o ser humano e agir através dele na terra, pois foi assim que Ele escolheu, por amor a nós. Por isso precisamos orar e, por intermédio de JESUS, recuperar a comunhão, a autoridade e o gerenciamento sobre a Terra.
Vamos dividir esse estudo em três partes:
I – Como uma oração funciona (o que é necessário para gerar o poder de DEUS em nossas vidas?).
II – Os tipos de orações que temos à nossa disposição.
III – Como colocar a oração em prática, administrando o nosso tempo, a fim de termos uma vida de
oração.
I – Como uma oração funciona (o que é necessário para gerar o poder de DEUS em nossas
vidas?)
Devemos atentar para sete condições pessoais que farão com que a nossa oração toque o coração do Pai:
1 – Limpeza e Santidade:É fundamental que cada um de nós tenhamos arrependimento verdadeiro pelos nossos pecados,
pedindo perdão a DEUS por tudo o que ainda há de errado em nosso caráter e na nossa conduta de vida. Quando oramos, DEUS espera que identifiquemos com nomes os nossos erros e falhas,
especificando pecado por pecado.

Além disso, temos de pedir a cobertura do Sangue do Cordeiro, pois ela é a nossa apresentação
diante de DEUS. Apesar de todos nós sermos pecadores, somos justificados por aquilo que JESUS fez; tornamo-nos justos não por aquilo que fazemos, mas pelo que Ele fez na cruz: por meio do Sangue de JESUS somos purificados de todo pecado.

2 – Orar no ESPÍRITO:Também o ESPÍRITO, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo ESPÍRITO intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis. E aquele que sonda os corações sabe qual é a mente do ESPÍRITO, porque segundo a vontade de DEUS é que ele intercede pelos santos. (Romanos 8:26-27)
Nossa oração deve ser através da intercessão do ESPÍRITO SANTO, através da direção dEle.
Vós, porém, amados, edificando-vos na vossa fé santíssima, orando no ESPÍRITO SANTO. (Judas 20)

3 – Orar em nome de JESUS:No Antigo Testamento as pessoas oravam da seguinte maneira: “DEUS, lembra-te da Tua aliança com Abraão, Isaque e Jacó...”. Atualmente nós devemos orar da seguinte maneira: “DEUS, lembra-te do que JESUS fez...”. Toda a nossa oração deve ser feita em nome de JESUS CRISTO, pois foi Ele quem já conquistou tudo por nós quando foi para a cruz.

E tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho. Se me pedirdes alguma coisa em meu nome, Eu o farei. (João 14:13 e 14)
Toda a máxima autoridade espiritual foi entregue a JESUS e não há nome que esteja acima do nome de dEle.

Pelo que também DEUS o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome (Filipenses 2:9)

4 – Fé:E, tudo o que pedirdes na oração, crendo, o recebereis. (Mateus 21:22)
A fé vem pelo olhar para DEUS e não para as circunstâncias. A oração com fé trará frutos, resultados (creia, persevere e espere), pois o homem de oração é uma pessoa convencida de que DEUS é onipotente, que tem poder para fazer qualquer coisa, para transformar qualquer um e interferir em qualquer situação. Uma pessoa que crê verdadeiramente nisso recusa-se a duvidar de DEUS.
Não fará DEUS justiça aos seus escolhidos, que a Ele clamam dia e noite, embora pareça demorado em defende-los? (Lucas 18:7)
O tempo pode até parecer longo, mas sabemos que DEUS já está trabalhando a nosso favor desde a nossa primeira oração.

5 – Sinceridade e Humildade:Com DEUS não há relacionamento de barganha, de auto-justificação, de máscaras, etc.
Humildade é quando você declara a sua impotência diante de certa situação e a sua dependência de DEUS.
DEUS está interessado em ouvir o que está em nosso coração e Ele não resiste a um coração
humilde.

Tinha Manassés doze anos de idade quando começou a reinar e cinqüenta e cinco anos reinou em Jerusalém. Fez o que era mau perante o SENHOR, segundo as abominações dos gentios que o SENHOR expulsara de suas possessões, de diante dos filhos de Israel. Pois tornou a edificar os altos que Ezequias, seu pai, havia derribado, levantou altares aos baalins, e fez postes-ídolos, e se prostrou diante de todo o exército dos céus, e o serviu. Edificou altares na Casa do SENHOR, da qual o SENHOR tinha dito: Em Jerusalém, porei o meu nome para sempre. Também edificou altares a todo o exército dos céus nos dois átrios da Casa do SENHOR, queimou seus filhos como oferta no vale do filho de Hinom, adivinhava pelas nuvens, era agoureiro, praticava feitiçarias, tratava com necromantes e feiticeiros e prosseguiu em fazer o que era mau perante o SENHOR, para o provocar à ira. Também pôs a imagem de escultura do ídolo que tinha feito na Casa de DEUS, de que DEUS dissera a Davi e a Salomão, seu filho: Nesta casa e em Jerusalém, que escolhi de todas as tribos de Israel, porei o meu nome para sempre e não removerei mais o pé de Israel da terra que destinei a seus pais, contanto que tenham cuidado de fazer tudo o que lhes tenho mandado, toda a lei, os estatutos e os juízos dados por intermédio de Moisés. Manassés fez errar a Judá e os moradores de Jerusalém, de maneira que fizeram pior do que as nações que o SENHOR tinha destruído de diante dos filhos de Israel. Falou o SENHOR a Manassés e ao seu povo, porém não lhe deram ouvidos. Pelo que o SENHOR trouxe sobre eles os príncipes do exército do rei da Assíria, os quais prenderam Manassés com ganchos, amarraram-no com cadeias e o levaram à Babilônia. Ele, angustiado, suplicou deveras ao SENHOR, seu DEUS, e muito se humilhou perante o DEUS de seus pais; fez-lhe oração, e DEUS se tornou favorável para com ele, atendeu-lhe a súplica e o fez voltar para Jerusalém, ao seu reino; então, reconheceu Manassés que o SENHOR era DEUS. (2 Crônicas 33:1-13)

O rei Manassés foi uma das pessoas que mais cometeu abominações contra DEUS, fazendo tudo o que não deveria ser feito: idolatria, queima dos próprios filhos como sacrifício, adivinhação e
feitiçaria; enfim, ele foi um exemplo daquilo que não devemos fazer. Esse texto, porém, mostra-nos um segredo, um princípio espiritual: DEUS não espera que nos apresentemos a Ele com uma
absoluta perfeição, mas sim com absoluta sinceridade. A quantidade de sinceridade no coração vai mostrar o quanto o nosso caráter será aperfeiçoado: quanto mais sinceridade na oração, maior será nossa transformação.
Propôs também esta parábola a alguns que confiavam em si mesmos, por se considerarem justos, e desprezavam os outros: Dois homens subiram ao templo com o propósito de orar: um, fariseu, e o outro, publicano. O fariseu, posto em pé, orava de si para si mesmo, desta forma: Ó DEUS, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros, nem ainda como este publicano; jejuo duas vezes por semana e dou o dízimo de tudo quanto ganho. O publicano, estando em pé, longe, não ousava nem ainda levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó DEUS, sê propício a mim, pecador! Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque todo o que se exalta será humilhado; mas o que se humilha será exaltado. (Lucas 18:9-14)
Em 2 Crônicas 7:14 podemos ver esses pontos: humilhação, oração, sede de DEUS e arrependimento geram a manifestação de DEUS por meio do perdão e da restauração de vida.
E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se
converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra.
6 – Submissão a DEUS:Nós não somos perfeitos, tão pouco nossos planos. Ao contrário disso, porém, tanto DEUS, quanto seus planos são perfeitos, por isso, a melhor forma de realizarmos alguma coisa é estar debaixo da vontade de DEUS. Ser submisso é estar em obediência e concordância sob a missão estabelecida por DEUS, cooperando para o bom êxito dos planos dEle.

E dizia: Aba, Pai, tudo te é possível; passa de mim esse cálice; contudo, não seja o que Eu quero, e, sim, o que Tu queres. (Marcos 14:36)
7 – Perdão:Nós precisamos primeiro liberar perdão a quem nos feriu e, dessa forma, estaremos atraindo o
perdão de DEUS sobre os erros que cometemos. Isso significa perdoar antes para ser perdoado por DEUS e, assim, brecar a ação do diabo contra nós.
E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores. (Mateus 6:12)
II – Tipos de orações à disposição
1 – Orações individuais: você e DEUS, no silêncio ou em voz alta.
2 – Orações coletivas: o poder de DEUS é “multiplicado”, pois a fé é multiplicada, a sinceridade é multiplicada, etc.

Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graças, em favor de todos os homens, em favor dos reis e de todos os que se acham investidos de autoridade, para que vivamos vida tranqüila e mansa, com toda piedade e respeito. Isto é bom e aceitável diante de Deus, nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade. (1 Timóteo 2:1-4)
Não existe apenas um tipo de oração, uma maneira exclusiva de orar, mas ao longo da bíblia, vemos que existem diversos tipos e maneiras. Orar leva-nos à idéia de semear, ou seja, lançar sementes, a fim de que um fruto ou uma colheita venha a aparecer dentro de um determinado período de tempo.

Quando o lavrador sai ao campo para semear, por exemplo, ele lança as sementes no solo, sendo que cada uma produz de acordo com o seu tipo, respeitando determinada característica original, e no seu tempo.
O mercado agrícola possui fases de entre safras, ou seja, períodos em que há escassez de
produtos, gerando aumento de preços e maiores valores de venda no mercado. Ao compreender isso e antecipar-se para esse momento, o agricultor terá maiores ganhos e retornos diante de seus investimentos iniciais.
Se o produto em alta no mercado é a soja, deve-se plantar sementes de soja, a fim de obter-se uma safra com o maior retorno possível aos investimentos, porém, se mesmo desejando comercializar soja, plantar sementes de arroz, nunca será possível alcançar os objetivos iniciais.
Orar é plantar (semear) e perseverar (regar e cultivar) para colher os frutos (respostas e bênçãos), dentro de um determinado tempo. Através desse princípio, entendemos que o retorno e as respostas às nossas orações acompanham o nosso investimento inicial, tanto no que diz respeito ao tipo como ao tempo de semeadura.
E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos. (Gálatas 6:9)

John Wesley disse: "DEUS não faz nada sobre a terra a não ser em resposta a oração". Deus está
aguardando um pedido nosso para agir em favor de seu povo e do mundo. Então para ver as coisas acontecerem na nossa vida, vamos começar a orar! Se nós estamos aqui hoje é porque alguém em algum momento orou por nossa salvação.
a) Orações de súplicas:Trata-se do clamor; uma oração feita com a cara no chão, com humilhação, com a cara no pó e
rasgando o coração, em que dificilmente a resposta de DEUS não virá, antes, porém, virá como
escape e consolo.

Decorridos muitos dias, morreu o rei do Egito; os filhos de Israel gemiam sob a servidão e por causa dela clamaram, e o seu clamor subiu a DEUS. Ouvindo DEUS o seu gemido, lembrou-se da sua aliança com Abraão, com Isaque e com Jacó. E viu DEUS os filhos de Israel e atentou para a sua condição. (Êxodo 2:23-25)
b) Orações de petições:DEUS quer que façamos orações especificando detalhe por detalhe dos nossos pedidos, pedidos esses que devem glorificar a DEUS e estar de acordo com a Sua vontade.

E eu vos digo a vós: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á. (Lucas 11:9)
Se orarmos de maneira genérica por um emprego, é certo que DEUS nos concederá, mas se
especificarmos a Ele o salário, os benefícios, o local, entre outros detalhes, quando Ele conceder-nos, valorizaremos ainda mais cada resposta. Em ambos os casos DEUS será glorificado, porém, quanto mais específica a oração, mais Seu nome será reconhecido e exaltado.

c) Orações de confissões:Orar dando nomes aos pecados, não generalizando os erros cometidos, pois ao fazermos isso, não há arrependimento, mas quando refletimos sobre cada pecado, o arrependimento vem. Quando damos nomes aos pecados, não suportaremos mais errar naquilo novamente.

Compadece-te de mim, ó DEUS, segundo a tua benignidade; e, segundo a multidão das tuas
misericórdias, apaga as minhas transgressões. Lava-me completamente da minha iniqüidade, e purifica-me do meu pecado. Pois eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim. (Salmo 51:1-3)

d) Orações de guerra:Consiste em entrarmos em batalha espiritual confrontando os poderes do mal.

Então me disse: Não temas, Daniel, porque desde o primeiro dia, em que aplicaste o coração a
compreender e a humilhar-te perante o teu DEUS, foram ouvidas as tuas palavras; e por causa das tuas palavras é que vim. Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu por vinte e um dias; porém Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu obtive vitória sobre os reis da Pérsia. (Daniel 10:12-13)

Guerrear pela nossa casa, pela nossa família, guerrear pela nossa própria vida; sempre estando
debaixo da cobertura espiritual da igreja.

e) Orações intercessórias:DEUS revela o seguinte segredo espiritual: se cuidarmos do nosso irmão, DEUS cuidará de nós. Se cuidarmos das coisas de DEUS, Ele cuidará das nossas.

Tomai, pois, sete novilhos e sete carneiros, e ide ao meu servo Jó, e oferecei holocaustos por vós. O meu servo Jó orará por vós; porque dele aceitarei a intercessão, para que eu não vos trate segundo a vossa loucura; porque vós não dissestes de mim o que era reto, como o meu servo Jó. Então, foram Elifaz, o temanita, e Bildade, o suíta, e Zofar, o naamatita, e fizeram como o SENHOR lhes ordenara; e o SENHOR aceitou a oração de Jó. Mudou o SENHOR a sorte de Jó, quando este orava pelos seus amigos; e o SENHOR deu-lhe o dobro de tudo o que antes possuíra. (Jó 42:8-10)
Por aquele tempo mandou o rei Herodes prender alguns da igreja para os maltratar, fazendo passar ao fio da espada a Tiago, irmão de João (...) Pedro, pois, estava guardado no cárcere; mas havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele. (Atos 12:1, 2 e 5)

Esse texto mostra-nos que Tiago foi preso, martirizado e morto defendendo o nome de JESUS, mas Pedro, não. Ele escapou da morte naquele momento, pois a igreja estava orando incessantemente por sua vida; a oração intercessória gerou o livramento dado por DEUS. Uma oração intercessória pode produzir algo comparado a um divisor de águas, uma nova fase na vida de seu irmão, na vida de seus pastores, na vida de sua igreja, e até mesmo na vida de uma nação.

f) Oração de graça (de agradecimento):
Devemos ser gratos por aquilo que JESUS fez na cruz, pela nossa salvação, pela graça, misericórdia e amor de DEUS, pelas orações respondidas, pelas bênçãos espirituais e materiais, pelas bênçãos sentimentais, etc, além disso, temos de agradecer a DEUS pelo que Ele é.

E um deles, vendo que estava são, voltou glorificando a DEUS em alta voz. E disse-lhe: levanta-te e vai, a tua fé te salvou. (Lucas 17:15 e 19)
Esse texto conta-nos a história de dez leprosos que foram curados por JESUS e apenas um voltou para agradecer. Isso significa que DEUS pode abençoar a quem quiser, mas a sua gratidão a Ele poderá fazer a diferença no seu relacionamento com JESUS. De dez pessoas, nove foram abençoados e seguiram seu caminho, mas apenas um foi abençoado e salvo, pois resolveu retornar e agradecer a JESUS.
g) Orar a palavra de DEUS:Utilize os versículos bíblicos nas orações, pois a palavra de DEUS é a nossa espada. Vivendo a
palavra de DEUS em nossas orações estaremos derrotando o inimigo e edificando-nos.
Nessas orações devemos utilizar dois recursos: o ESPÍRITO SANTO e a palavra de DEUS, pois os dois sempre caminham juntos. A palavra é a semente e o ESPÍRITO libera a vida em potencial que nela está. Quando oramos a palavra de DEUS, estamos respaldados para que tenhamos o objetivo alcançado. A palavra de DEUS é verdade absoluta para nós e, por isso, ela não pode ser uma mentira. Se orarmos de acordo com ela, satanás não poderá frustrar nossos objetivos.
Portanto, tomais toda a armadura de DEUS, para que possais resistir no dia mau, e, depois de terdes vencido tudo, permanecer inabaláveis. Estais, pois, firmes, cingindo-vos com a verdade, e vestindo-vos da couraça da justiça. Calçai os pés com a preparação do evangelho da paz, embraçando sempre o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno. Tomai também o capacete da salvação e a espada do ESPÌRITO, que é a palavra de DEUS. (Efésios 6:13-17)
Se o diabo te lançar uma seta de acusação do seu passado, não aceite: ore a Palavra que diz que
nenhuma condenação há para os que estão em CRISTO JESUS (Romanos 8:1), que as coisas velhas se passaram e eis que se fizeram novas todas as coisas (2 Coríntios 5:17). Orar a palavra de DEUS sempre desmascara satanás, pois ela sempre será uma verdade e uma autoridade em qualquer situação.
h) Oração de Adoração:A adoração faz-nos lembrar a identidade e o caráter de DEUS, a onipresença, a onisciência e a
onipotência dEle.
Vinde, adoremos e prostremo-nos; ajoelhemos diante do SENHOR que nos criou. Ele é o nosso DEUS, e nós povo do seu pasto, e ovelhas de sua mão. Hoje, se ouvirdes a Sua voz, não endureçais o vosso coração, como em Meribá, como no dia de Massa, no deserto. (Salmo 95:6-9)
III – Como colocar em prática?
Orai sem cessar. (1 Tessalonicenses 5:17)
Não importa o que você estiver fazendo, faça com DEUS. Não importa aonde você vá, convide DEUS para ir com você, seja no trabalho, no estudo, no namoro, na viagem, nas compras. Orar sem cessar significa conversar com DEUS enquanto se trabalha (atenção para não roubar o tempo de trabalho), se estuda, se lê, etc; é estar conectado ao trono de DEUS independente do que você estiver fazendo.

Precisamos reservar um tempo do nosso dia para DEUS. Isso é fundamental para que se inicie a
prática de uma vida de oração. Para isso, precisamos programar horários em nossa agenda de
oração. A bíblia cita Daniel como exemplo de um servo que orava três vezes ao dia e, como resultado, DEUS o honrou pela sua fidelidade.

Daniel, pois, quando soube que o edito estava assinado, entrou em sua casa (ora havia no seu quarto janelas abertas do lado de Jerusalém), e três vezes no dia se punha de joelhos, e orava, e dava graças diante do seu DEUS, como também antes costumava fazer. (Daniel 6:10)
Davi era outro que mantinha uma disciplina de oração. O dia tem vinte e quatro horas e, com
certeza, se nos esforçarmos, acharemos tempo para investir em oração a DEUS.

Eu, porém, invocarei a DEUS, e o SENHOR me salvará. À tarde, pela manhã e ao meio-dia, farei as minhas queixas e lamentarei; e ele ouvirá a minha voz. (Salmo 55:16 e 17)
Precisamos ter a mesma prática de Daniel e Davi e não temos de ficar preocupados com a duração do tempo que reservamos para a oração, pois o importante é a qualidade dela. Quando temos momentos de oração agradáveis, naturalmente o tempo de permanência em oração será prolongado gradativamente: se começarmos com dez minutos, a tendência é que aumente para vinte minutos, trinta minutos, uma hora, duas horas, etc.

A qualidade da oração geralmente é conseqüência da vida e quantidade dela, e não o contrário. A
questão não é saber orar, mesmo porque a palavra diz que nós não sabemos orar como convém e por isso necessitamos da ajuda do ESPÍRITO SANTO, mas sim praticar: trancar-se no quarto e orar, seja de joelhos, de pé, de ponta cabeça. Essa deve ser a nossa postura se quisermos crescer
espiritualmente e conhecer a DEUS.

Além de nosso momento devocional diário, devemos lembrar que DEUS também quer participar do restante do nosso dia, assim como foi no início, no Jardim do Éden; nossa comunhão com Ele deve ser permanente e não de vez em quando. Pense em DEUS em diversos momentos do seu dia, lembre-se de que Ele está ao seu lado, pense no fato de que há um DEUS que quer resolver todos os nossos problemas.

Alguns efeitos promovidos pela oração.Desenvolver uma vida de oração a DEUS promove alguns efeitos:
a) Estabelece um canal direto até DEUS; não precisamos de intermediários, pois JESUS abriu o
único caminho para nos achegarmos a DEUS. Vida de oração é vida on-line com DEUS;
b) É a base da vida espiritual do cristão; a falta de oração conduz à morte espiritual, à frieza e à
apostasia. É obrigação de todo cristão ter como base de vida a oração, sem esquecer da leitura da
palavra e do jejum;

c) Estabelece um diálogo com DEUS; quando você conversa com alguém, na verdade você está
conhecendo essa pessoa. É assim com DEUS também, quanto mais conversamos com Ele, mais
passamos a conhecer suas vontades, seus planos e sua maneira de pensar;

d) Permite o derramar da unção que despedaça o jugo; o ESPÍRITO SANTO de DEUS é derramado, a unção de DEUS é derramada, o poder de DEUS é manifesto, fazendo com que todo cansaço e todo peso espiritual sejam dissipados;

e) Impede a paralisia espiritual. Experimente ficar sem ligar seu carro por um mês: quando você
tentar vai ser difícil de conseguir; o motor estará travado. Assim funciona com a oração também:
se ficarmos sem orar, mais frio ficaremos. Orar faz também o papel igual ao da manutenção no
carro: impede que esfriemos e travemos a nossa vida espiritual.
Oração preventiva.Orar preventivamente é não permitir que satanás aproxime-se; é mantê-lo afastado e longe da nossa vida. DEUS não precisa nos revelar que os planos de satanás são de roubo, morte e destruição (João 10:10), pois isso nós já sabemos. Esses planos podem ocorrer através de enfermidade, orgulho, soberba, cobiça, desânimo, frieza, entre tantos outros, sendo assim, precisamos fazer algo a respeito.

Esse tipo de oração é um segredo espiritual que pode ser utilizado em, praticamente, todas as
situações, como por exemplo:

Por que esperar a notícia ruim chegar para somente então iniciar um propósito de oração para
reversão do quadro? Por que esperar ficar desempregado para começar a orar pela área profissional?

Não seria muito mais simples se mesmo empregados orássemos pela nossa carreira, nosso salário, nossa promoção, e até mesmo pela mudança para uma empresa melhor? Não precisamos estar descontentes para começar a orar por isso.

Não é necessário esperar ficar doente para, então, começar a orar por saúde, pois DEUS quer que oremos enquanto estamos saudáveis.

Não podemos esperar que a frieza espiritual venha sobre nós; antes devemos orar para mantermos a unção que DEUS deu-nos e, além de mantê-la, pedir sempre mais. Não precisamos esfriar para começar a orar pela vida espiritual e ministerial: temos de nos antecipar aos ataques das trevas.

E por que esperar nosso pastor sofrer sérios ataques do inferno para começar a orar pela sua vida e de sua família? Oremos para prevenirmos tais situações!

Não podemos, tão pouco, acomodar-nos com o fato de termos a promessa de que toda nossa família será salva e parar de orar pela salvação deles. Caso eles convertam-se a JESUS no último instante de suas vidas, será maravilhoso, mas não é isso que desejamos; queremos, no entanto, vê-los andando com CRISTO agora, hoje, desfrutando das promessas de DEUS aqui nessa terra.

Como conhecemos a situação de opressão em que eles vivem, não podemos parar de orar pela libertação deles, não podemos pensar ‘ah, eles serão salvos mesmo, acho que eles vão reconhecer JESUS quando estiverem morrendo’; isso é inadmissível, pois é exatamente esse o plano de satanás: manter nossos familiares presos durante toda a vida. A libertação e restauração que DEUS deu-nos deve ser o estímulo para que nossos familiares também vivam isso agora!

Precisamos aproveitar a arma que é a oração e as oportunidades de nos prevenirmos contra tudo
isso.

Até quando devemos orar?
Da mesma maneira que JESUS instruiu a Pedro que ele devia perdoar quantas vezes fossem
necessárias, (Mateus 18: 21 e 22) podemos entender que JESUS nos afirma algo semelhante:
ORE QUANTAS VEZES FOREM NECESSÁRIAS, ORE QUANTAS VEZES O MEU ESPÍRITO TE TRAZER DETERMINADO ASSUNTO EM MENTE.

Se um assunto vem em nossa mente constantemente, precisamos crer que é o próprio DEUS quem está nos pedindo mais e mais orações sobre esse mesmo assunto. Nossas orações são como bombas nas regiões espirituais, bombas essas que causam grande estrago nas estruturas do inferno. De acordo com o texto a seguir, existem anjos designados por
DEUS, que seguram nas mãos incensários ou taças a terem o seu nível preenchido pelas nossas
orações. A cada oração que fazemos para uma determinada necessidade ou desejo, essa mesma
oração sobe ao trono de DEUS como incenso, até o momento em que DEUS dá o comando para que o anjo derrame sobre a terra o incensário preenchido pelas orações e pelo fogo do altar de DEUS, de forma a liberar nas nossas vidas as conseqüências e respostas a essas orações.

E veio outro anjo, e pôs-se junto ao altar, tendo um incensário de ouro; e foi-lhe dado muito incenso, para o pôr com as orações de todos os santos sobre o altar de ouro, que está diante do trono. E a fumaça do incenso subiu com as orações dos santos desde a mão do anjo até diante de DEUS. O anjo tomou o incensário, e o encheu do fogo do altar, e o lançou sobre a terra; e houve depois vozes, e trovões, e relâmpagos e terremotos. (Apocalipse 8:3-5)
Quem estabelece o tamanho das taças é DEUS, e o nosso papel é o de orar de forma a fazê-las
transbordar sobre nós, sobre a terra e sobre as pessoas. Levando-se em conta tal fato, se a taça for bem pequena, talvez apenas uma oração seja o suficiente para enchê-la e fazê-la ser derramada sobre nós e sobre a terra, com a reposta à oração. Contudo, se a taça for bem grande, para fazê-la encher serão necessárias várias e várias orações sobre o mesmo assunto, talvez dias e mais dias, campanhas de oração, propósitos a longo prazo. É DEUS quem determina o tempo para que as respostas de nossas orações cheguem até nós, sendo certo que esse tempo pode ser prolongado se deixarmos de orar ou, ainda, se a guerra agravar-se no mundo espiritual; pode também ser diminuído se orarmos com disciplina, com fé e enxergando o momento oportuno da oração como a grande chance de termos a vitória, aproveitando e valorizando mais essa oportunidade dada por DEUS.

Imaginem uma final de copa do mundo entre Brasil e Argentina, sendo disputada nos pênaltis,
bastando apenas converter o último pênalti para que a seleção brasileira torne-se campeã. O pênalti a ser batido é a chance da vitória, porém, seu desperdício pode significar a maior frustração para uma pessoa, para um time e para uma nação. Nesse momento o jogador deve pensar somente que vai conseguir, que vai colocar a bola no fundo da rede e ser campeão. Porém, ele corre o risco de não fazer o gol e ver o mundo desabar sobre a sua cabeça.

Sabe, então, qual a diferença quando oramos? Nós já sabemos que a nossa vitória é certa; e a nossa vitória é estar no centro da vontade de DEUS para nossa vida. Nós só seremos derrotados se desistirmos e pararmos de orar; mas se persistirmos em oração, DEUS irá nos honrar com a vitória e com a conquista. Não há outra possibilidade.

A resposta de uma oração deve ser mantida em oração.

Vejamos um outro segredo para a nossa vida com DEUS: tudo aquilo que é conquistado em oração, deve também ser mantido em oração.

DEUS abençoa-nos, recebemos a resposta da nossa oração, mas, às vezes, não sabemos como lidar com aquilo. Você acha que satanás fica feliz quando somos abençoados? Claro que não, ele fica furioso e então tenta roubar a nossa benção.

Por exemplo, quando DEUS dá-nos dons espirituais, precisamos manter esse presente através da oração, pois se não o fizermos, fatalmente não saberemos usar esses dons da forma como DEUS quer. Depois que DEUS nos dá algo, precisamos orar para sabermos como usar. A oração faz com que usemos com sabedoria aquilo que DEUS coloca em nossas mãos. Lembre-se, conquistado em oração, mantido em oração.

Por este menino orava eu; e o SENHOR me concedeu a petição, que eu lhe fizera. Pelo que também o trago como devolvido ao SENHOR, por todos os dias que viver; pois ao SENHOR o pedi. E eles adoraram ali ao SENHOR. (1 Samuel 1:27 e 28)
Ana permaneceu por anos orando a DEUS por um filho, e disse que se seu pedido fosse concedido, ela o devolveria ao SENHOR por todos os dias de sua vida. Na verdade ela sabia que não bastaria somente orar pela benção, mas deveria continuar a orar todos os dias para que a benção estivesse sendo usada dentro do propósito de DEUS. Por todos os dias, Ana orava ao SENHOR agradecendo por aquilo que Ele havia feito e sabia que não bastava receber a benção de DEUS: além disso, era necessário orar para que a benção continuasse servindo de acordo com o propósito inicial. Ela orava todos os dias por Samuel, pelo seu chamado de profeta e servo de DEUS e para que ele não se desviasse durante a sua vida. A bíblia revela que Samuel foi um dos maiores profetas que Israel já teve.

Observe o que o seu testemunho de vida lhe permitia dizer:

Então disse Samuel a todo o Israel: eis-me aqui, testemunhai contra mim perante o SENHOR, e perante o seu ungido: de quem tomei o boi? De quem tomei o jumento? A quem defraudei? A quem oprimi? E das mãos de quem aceitei suborno para encobrir com ele os meus olhos? E vo-lo restituirei. Então responderam: em nada nos defraudaste, nem nos oprimiste, nem tomaste coisa alguma da mão de ninguém. (1 Samuel 12:1 e 3 e 4)
As orações de Ana contribuíram para que Samuel fosse profeta e tivesse um caráter exemplar,
uma vida dentro do plano de DEUS. O que for conquistado em oração, também precisa ser mantido em oração.

Orar é igual ao executar – orar leva-nos a executar.
O ato de orar tem a mesma importância do ato de executar. Quando executamos, temos a experiência real de que estamos alcançando nosso objetivo, vendo com nossos olhos naturais a transformação e conquista daquilo que foi almejado. Ao oramos devemos ter essa mesma sensação e darmos a mesma importância. Isso é crer no que está sendo feito.

Numa construção, tanto o projeto arquitetônico, quanto o de engenharia e a execução da obra são
importantes, um sem o outro deixa um vazio que pode tornar-se perigoso mais à frente. Assim é com a oração: ela inicia a conquista, a execução completa e finaliza os planos. Temos de enxergar a oração como a chance de conquistar objetivos e sonhos. Orar deve ser semelhante ao executar.
Estabeleça um tempo diário de oração: por exemplo, comece com 10 minutos, estique para 20 ou 30 minutos, etc, até chegar a 1 hora, 2 horas, 3 horas e assim por diante.

A qualidade da oração geralmente é uma conseqüência da quantidade de orações e não o contrário. Enquanto você desenvolve uma vida pessoal de oração, não se preocupe em demasia se, no momento, ficar sonolento, pois a qualidade virá com o tempo, virá com a prática da oração.
Quanto maior o tempo de oração que disponibilizarmos, maior será a consagração das nossas vidas. E quanto maior a consagração das nossas vidas, maior será o poder de DEUS em nós. Portanto, quanto mais oração, maior o agir do ESPÍRITO SANTO e maior o poder de DEUS em nós.
Questões relacionadas ao estudo.1) Com suas palavras, explique o que é oração.
2) Quais são os cinco pontos necessários para se manter uma vida de oração.
3) Escolha três tipos de orações e comente-as mencionando a causa de sua escolha.
4) Quais os efeitos produzidos em nós através de uma vida de oração a DEUS?

Aula prática.Nessa semana, reserve diariamente algum tempo (qualquer duração) para entrar em momento de oração com DEUS. Observe qual é o melhor horário para essa comunhão e prossiga nessa meta.

1 comentários:

Patricia Sousa disse...

Não consigo responder a questão 2 poderia me ajudar?

22 de outubro de 2016 11:59

Postar um comentário